UNIÃO DAS FREGUESIAS DE RAMADA E CANEÇAS

Notícias
  • facebook.png
  • odivelas_2020.png
  • regressoasaulas.png
  • novembror2019.jpg
  • novembro_2019.jpg
  • hba_logo.png
  • bombeiros-volunt-rios-cane-as.png
  • bombeiros-volunt-rios-odivelas.png
  • logo_psp-1-.jpg
  • Calendariza-odasComemora-es.png

União de FrequesiasInformação a População

SOBRE O ESTADO INADMISSÍVEL DA EN 250 e EN 250-2.

Logo-JFRamada.gif 16 de Out de 2019 a 18 de Nov de 2019

Foi esta Junta surpreendida com as recentes obras que estão a ser realizadas na EN 250 e EN 250-2.
Sem qualquer pré-aviso a esta autarquia, a realização destas obras está a prolongar-se muito para além do admissível, constituindo neste momento um gravíssimo perigo para pessoas e bens.
Atento e revoltado com esta situação, o Presidente da União de Freguesias enviou à entidade responsável um e-mail de veemente protesto e que a seguir se transcreve:

"Ao Conselho de Administração das
Águas do Tejo Atlântico. S.A

Como Presidente da Junta da União das Freguesias de Ramada e Caneças, mas também como cidadão que circula todos os dias nas EN250 e EN 250-2, venho pelo presente manifestar a minha indignação e desagrado pelo facto de se ter iniciado uma empreitada de eventuais melhoramentos numa via pública, rodoviária, com grande intensidade de tráfego, sem um aviso prévio à Junta de freguesia e à População que diariamente circula nestas artérias e sem que tenham sido tomadas as devidas medidas de segurança.
Desde o passado dia 4 de outubro, sexta-feira, que existem enormes buracos retangulares (crateras) junto as tampas dos coletores, não sinalizados, difíceis de ser avistados em devido tempo, aumentado a sua dificuldade de visualização no arco noturno.
A situação, completamente inadmissível, já deu origem a acidentes, a danos em viaturas, a manobras de desvio, perigosas, colocando em causa a segurança de pessoas e bens.
Também é inadmissível que tenham deixado a obra sem qualquer sinalização quer de aviso, quer de delimitação do espaço e, passados estes dias todos, a situação se mantenha, sem qualquer identificação do estado do piso e do responsável pela obra.
Dadas as nossas competências, seria dever da Águas do Tejo Atlântico. S.A ter informado a Junta da empreitada em causa, datas e empresa encarregue.
São inúmeras as reclamações que estamos a receber pelos meios oficiais, bem com as interpelações pessoais, sem que haja um conhecimento formal do que se passa e do propósito daquelas crateras abertas na via.
Mais, declinarei publicamente todas e quaisquer responsabilidades que sejam material e moralmente imputadas a esta Autarquia, sendo que identificarei como incumpridores as Águas do Tejo Atlântico. S.A.
Respeitosamente"

Esta Junta continuará a defender intransigentemente os direitos e interesses de Ramadenses e Canecenses e não exclui a adoção de outras formas de luta se esta situação não tiver rápida resolução.Foi esta Junta surpreendida com as recentes obras que estão a ser realizadas na EN 250 e EN 250-2.
Sem qualquer pré-aviso a esta autarquia, a realização destas obras está a prolongar-se muito para além do admissível, constituindo neste momento um gravíssimo perigo para pessoas e bens.
Atento e revoltado com esta situação, o Presidente da União de Freguesias enviou à entidade responsável um e-mail de veemente protesto e que a seguir se transcreve:

"Ao Conselho de Administração das
Águas do Tejo Atlântico. S.A

Como Presidente da Junta da União das Freguesias de Ramada e Caneças, mas também como cidadão que circula todos os dias nas EN250 e EN 250-2, venho pelo presente manifestar a minha indignação e desagrado pelo facto de se ter iniciado uma empreitada de eventuais melhoramentos numa via pública, rodoviária, com grande intensidade de tráfego, sem um aviso prévio à Junta de freguesia e à População que diariamente circula nestas artérias e sem que tenham sido tomadas as devidas medidas de segurança.
Desde o passado dia 4 de outubro, sexta-feira, que existem enormes buracos retangulares (crateras) junto as tampas dos coletores, não sinalizados, difíceis de ser avistados em devido tempo, aumentado a sua dificuldade de visualização no arco noturno.
A situação, completamente inadmissível, já deu origem a acidentes, a danos em viaturas, a manobras de desvio, perigosas, colocando em causa a segurança de pessoas e bens.
Também é inadmissível que tenham deixado a obra sem qualquer sinalização quer de aviso, quer de delimitação do espaço e, passados estes dias todos, a situação se mantenha, sem qualquer identificação do estado do piso e do responsável pela obra.
Dadas as nossas competências, seria dever da Águas do Tejo Atlântico. S.A ter informado a Junta da empreitada em causa, datas e empresa encarregue.
São inúmeras as reclamações que estamos a receber pelos meios oficiais, bem com as interpelações pessoais, sem que haja um conhecimento formal do que se passa e do propósito daquelas crateras abertas na via.
Mais, declinarei publicamente todas e quaisquer responsabilidades que sejam material e moralmente imputadas a esta Autarquia, sendo que identificarei como incumpridores as Águas do Tejo Atlântico. S.A.
Respeitosamente"

Esta Junta continuará a defender intransigentemente os direitos e interesses de Ramadenses e Canecenses e não exclui a adoção de outras formas de luta se esta situação não tiver rápida resolução.


voltar